Sofre de ansiedade… sufocamento e angústia?

Partilhe

Foto-perfil-viva-saude

 

Autor – Marcos Justiniano (Psicólogo)


Ansiedade sufocamento e angústia?

Todos nós podemos ficar ansiosos dependendo da situação que estamos a passar:falar em público, ao expor um trabalho na Universidade ou no trabalho, diante de uma prova ou numa entrevista.

Alguns sinais psicológicos e físicos são muito claros e quase nos paralisam: a respiração torna-se ofegante, o suor aumenta, o medo paralisa, o corpo não consegue ficar parado.

A simples expectativa causada por uma espera, para muitos pode tratar-se de momentos insuportáveis e de angústia. O coração acelera, a respiração torna-se mais rápida e superficial, braços e pernas não conseguem ficar parados, as unhas são ruídas, a pressão arterial pode subir e o sentimento é de que se está a sufocar.

Para outras pessoas, essas sensações, podem ocorrer sem nenhum motivo aparente ou todos os dias. Pode causar paralisação e fazer com que a pessoa evite hábitos simples, como ficar numa fila no supermercado ou aguardar uma senha no banco.

Taquicardia, sudorese, tremores, tensão muscular, cefaleia…

Angústia e sufocamento diário!

É comum as pessoas começarem o seu dia, com pressa para que ele acabe; iniciam a semana, na segunda feira, ansiosos pela sexta feira; o ano começa e os planos são estabelecidos; começam um curso hoje, já a contar os dias para a sua conclusão; vivem apressadas, angustiadas, sufocadas pela correria das suas vidas, por uma infinidade de compromissos e prazos a cumprir.

Quando as pessoas estão a comer, fazem-no sem pensar no sabor dos alimentos e sim no que tem para fazer depois. Não prestamos atenção sequer na nossa respiração, que se torna tão superficial que quando respiramos um pouquinho mais a fundo, causa até tonturas.

É como se vivêssemos com o piloto automático ligado a 120 km/h para se chegar a algum lugar que não sabemos.

Brincar com os filhos?! Falta tempo. Olhar para os nossos familiares e enxergá-los de verdade, leva muito tempo. Olhamos sem ver e ouvimos sem escutar. Tudo tem que ser para ontem! Não podemos esperar um dia, uma semana, um mês…

Até na hora de dormir, os pensamentos são acelerados sobre o que fiz e o que vou fazer roubam o meu sono. E a leitura? Três, quatro linhas e os olhos já correm pelo texto até ao seu final. Leitura dinâmica, para uma vida atarefada, angustiada, sufocada e ansiosa.

“Mens sana in corpore sano”, expressão em latim do filósofo Juvenal, que remete à somatização, queixas de dores físicas que não possuem origem orgânica, mas emocionais.

Muitas vezes sentimos dores de cabeça, dores nas costas, nas pernas, alergias, doenças que não vão embora com os medicamentos. “Mente sã, corpo são”.

Observe como tem vivido. Algo que está marcado para acontecer no mês que vem, atormenta-o a ponto de perder o sono; um convite, faz quase entrar em pânico; uma situação pode fazer com que coma em excesso ou ficar horas sem se alimentar; Preocupação excessiva, medos irracionais, problemas com o sono, dificuldades com a alimentação, tensão muscular, evitar lugares ou situações, perfeccionismo ou lembranças que o aterrorizam… Podem ser sinais indicativos de um transtorno de ansiedade.  Cuide da sua saúde mental!

Seja uma crise ou um ataque de ansiedade, é aconselhável que você procure ajuda profissional a partir do momento em que o transtorno de ansiedade produza algum tipo de sofrimento ou incómodo, prejuízos na vida social ou incapacidades.

Viva o dia de hoje! Receba e aproveite este “presente”

 

Autor: Marcos Justiniano

 

Deixar uma resposta

Newsletter

Email Marketing by E-goi