Cicatrizes na cesariana como tratar

Partilhe

Autora – Joana Eira

Fisioterapeuta na HandCare Clínica

Ver perfil completo da Joana

Facebook: HanCare Clínica


Cicatrizes da cesariana cuidados a ter 

Hoje em dia é muito comum elegerem o parto com recurso a cesariana (parto abdominal) como forma de dar à luz, por diversos motivos: para não sentir dor, programar a hora o dia do nascimento e preservar a integridade física do bebé.

Iremos abordar as problemáticas que possam advir de cicatrizes, mas iremos focar-nos mais sobre as relativas às cesarianas e nos cuidados a ter no pós-parto.

Ter uma cicatriz, para além da questão estética, pode ser a causa de alguns problemas e por isso torna-se tão importante ser alvo de avaliação e tratamento. Infelizmente, na prática não lhe é dada a devida importância.

Como tal devemos saber cuidar das nossas cicatrizes, não só por razões estéticas, mas também por razões de saúde para não nos darem problemas futuros.

O que são cicatrizes?

É um tecido fibroso que rouba a capacidade natural da pele para deslizar em diferentes direções. Além de perder esta função, faz com que adira aos planos profundos, especialmente se a cicatriz é de uma cirurgia. Estas aderências que limitam a mobilidade da pele sobre os músculos, articulações e órgãos, irão atuar como uma verdadeira disfunção articular, limitando os livres movimentos dos órgãos subjacentes.

Certamente, ter uma cicatriz pode ser a causa de muitos problemas e por isso torna-se um fator tão importante a ser avaliada e tratada.

Estatísticas

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) existe um aumento exponencial de nascimentos por cesariana.

Em Portugal a taxa global de cesarianas ronda valores acima dos 35%, contando com unidades públicas e privadas, tornando-se num dos países europeus com maior número de partos por cesariana.

Problemas

cicatriz cesariana

Das mais variadas consequências que possam advir destas fibroses, causadas por uma lesão ou por uma intervenção cirúrgica, as principais problemáticas são:

  • Hipertrofia da cicatriz, na qual a produção de colagénio (proteína estrutural da pele) é excessiva e desorganizada;
  • Alterações da pigmentação, a cicatriz fica mais escura ou mais clara em relação à pele adjacente;
  • Aderências, que geralmente estão associadas à inflamação durante o período cicatricial;
  • Perda de sensibilidade;
  • Alterações posturais;
  • Dor cervical e lombar.

Fatores importantes

A cicatriz normalmente para as pessoas é mais uma questão estética do que propriamente uma questão de saúde. Não dão muita importância, mas não nos podemos esquecer que por vezes mesmo com bom aspeto superficial, a cicatriz pode não representar o verdadeiro cenário, escondendo o seu interior.

Ao existir uma limitação do deslizamento que a pele deve ter em relação às estruturas vizinhas que no caso da cicatriz causada pela cesariana, fica sobre um conjunto de estruturas principais (útero, bexiga, sacro e o trato final do intestino grosso) pode originar muitas disfunções destes órgãos relacionadas com o movimento do corpo. A probabilidade de uma cicatriz de cor avermelhada, grossa ou com relevos estar aderente é elevada, pelo que são recomendados procedimentos para remover esta aderência e assim, libertar os movimentos desta.

Entre as várias cirurgias, as de localização abdominal têm maior impacto nas tensões do corpo, isto porque esta zona é bastante solicitada para as mais diversas funções, tais como respirar e andar.

Os profissionais de saúde numa primeira abordagem perguntam se o paciente tem alguma cicatriz, ao qual muitas vezes respondem que sim, mas de situações muito antigas. Por vezes ao trabalharem zonas próximas destas cicatrizes, estas revelam-se muito aderentes, limitando o livre movimento das estruturas adjacentes. Quando estas são devidamente trabalhadas, a performance localizada do tratamento em causa aumenta, permitindo uma recuperação mais rápida e eficaz.

Tratamento e dicas

A cicatriz é algo que ninguém gosta de ter, porém o tratamento favorece o modelamento e a reorganização tecidual, onde se desenvolve o metabolismo normal e a mobilidade e ainda a libertação miofascial.

Como tal, sugerem-se algumas dicas que podem facilitar o tratamento:

-Massajar e aplicar hidratante (auxilia na recuperação);

-Tratamento de fisioterapia para libertação da cicatriz e de todas as áreas modificadas conforme cada caso;

-Técnicas fasciais;

-Trabalho visceral e do diafragma;

-Correção postural.

 

Autora: Joana Eira

Deixar uma resposta

Newsletter