CORE o que é?

Partilhe

 

Autores – Personal Trainers

Ver perfil completo Personal Trainers

Visite o nosso Site 

 


NÃO, O CORE NÃO SÃO SÓ ABDOMINAIS.

Seja com um propósito de melhorar a saúde, recuperar de uma lesão na coluna ou mesmo por razões estéticas, algo é certo: a maioria das pessoas gostaria de ter um CORE forte e definido.

Existem várias formas de trabalhar o CORE, contudo os exercícios feitos no colchão, como o crunch ou leg raise são dos mais populares e difundidos nos ginásios.

Saiba que a Personal Trainers pode mostrar-lhe uma alternativa mais prática e funcional. Treinamos o CORE permitindo um movimento multiplanar (para a frente, para trás e para os lados) aplicado na posição em que é mais vezes solicitado.

Com a finalidade de desenvolver a afirmação inicial, será importante perceber o que é o CORE, habitualmente descrito como abdominais pelos praticantes de exercício físico.

O que é o CORE?

Em primeiro lugar, é importante perceber que o CORE não é constituído apenas pelos músculos abdominais (Grande Recto Abdominal, Transverso, Grandes e Pequenos Oblíquos), mas sim por cadeias musculares, onde vários músculos trabalham em sinergia para cumprir determinadas funções.

Segundo McGuill, o CORE é composto pela zona lombar da coluna, músculos da parede abdominal (já referidos acima), extensores da coluna, quadrado dos lombos, assim como pelo grande dorsal, psoas-ilíaco e os glúteos.

Funções do CORE?

Para McGuill, o CORE atua, na maior parte das vezes, com a função não de iniciar o movimento, mas sim diminuir ou parar o movimento do tronco. Isto estabiliza e serve de suporte para a transferência de energia entre as partes superior e inferior do corpo. É esta transferência de energia que permite gerar força, conferindo aos nossos membros a capacidade de criar movimento ou pará-lo.

Atribui-se ao CORE também funções como proteção da coluna vertebral, mobilidade do tronco e coluna vertebral e ainda controlo da posição da pélvis.

A sinergia entre os músculos que constituem o CORE permite que, através de um género de negociação de forças entre os diferentes músculos e a força da gravidade, sejam possíveis ações quotidianas como andar ou carregar sacos das compras.

Será necessário fazer o tão conhecido crunch?

Tendo já referido as funções do CORE, podemos afirmar que existem formas de o trabalhar com mais eficiência.

O crunch, os leg raises ou V-ups estão bastante difundidos pelos locais de prática de exercício físico, seja no ginásio, box de crossfit ou até quando as pessoas treinam na rua.

Quando falamos em padrões de movimento por exemplo, no exercício crunch, existe a ação de flexão da coluna. O músculo grande reto do abdómen (músculo longo localizado na parte frontal do abdominal) tem como uma das funções a flexão da coluna, não sendo esta a principal, pois no nosso quotidiano são poucas as vezes que o fazemos de forma isolada.

Não será então melhor trabalhar os músculos da parede abdominal de uma forma mais funcional e com uma maior transferência para a forma como é requisitado na maioria das vezes? Não será melhor e mais eficiente a aplicação de estratégias que permitam incluir o trabalho dos mais variados músculos do CORE?

 Sim, e a Personal Trainers explica como

Como referimos inicialmente, o CORE é constituído por mais músculos do que os abdominais. Esta totalidade de músculos proporciona-nos a capacidade de movimento, movimento esse que ocorre nos vários planos. Logo, é necessário ter o potencial de conseguir recrutar os músculos para qualquer movimento.

Propomos uma alternativa ao treino habitualmente feito no colchão e que passa por trabalhar o CORE em exercícios feitos numa posição mais vertical.

Exercícios rotacionais, anti-rotacionais e anti-flexão frontal ou lateral do tronco (chops ou lifts, static cable holds e unilateral farmer carry) são boas estratégias para diversificar o seu treino e trabalhar o seu CORE de forma mais funcional e mais eficiente.

Poderá ainda optar por fazer incluir na sua rotina de treino os exercícios que costuma fazer mas de forma unilateral (ex. unilateral shoulder press) desta forma o estímulo do CORE será mais exigente, o que vai obrigar a que mais músculos sejam recrutados.

Caso pretenda continuar a treinar no chão, opte por exercícios como pranchas estáticas e dinâmicas ou arrisque experimentar exercícios de Animal Flow como o bear crawl.

Deseja ter um CORE forte, eficiente e definido? Treine com a Personal Trainers e descubra como.

Autor:Personal Trainers

Deixar uma resposta

Newsletter