Depressão pós-férias? Como superar?

Partilhe

Classifique este artigo
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Depressão pós-férias

Cansaço, problemas de concentração e irritabilidade são sintomas que os especialistas associam à síndrome pós-férias, que nesta altura do ano afecta quem, depois de um período de descanso, tem de voltar ao trabalho e à rotina do dia-a-dia.

O que é a depressão pós-férias?

Será a tristeza que sentimos por as férias terem acabado? Pelo contrário, trata-se da dificuldade em regressar à rotina depois das férias. Apesar de não ser uma condição reconhecida pelo DSM (manual das doenças psicológicas) nem de ser algo incapacitante, evitará muitos desgostos e tormentos no seu regresso das férias, caso decida prevenir este estado.

Assim como a depressão sazonal, a depressão pós-férias é um estado depressivo passageiro associado ao regresso das férias. Durante as nossas férias, os nossos níveis de stress e adrenalina baixam, o nosso ritmo diminui e descansamos a mente e o corpo. Regressar a casa, à rotina e lufa-lufa diária pode ser um autêntico suplício acompanhado dos mais variados sintomas:

  • Tristeza e falta de energia
  • Dificuldade de concentração e organização das tarefas diárias
  • Baixa produtividade
  • Alterações de sono e apetite
  • Irritabilidade e dificuldades na interacção com os outros

Como superar a Depressão pós-férias?

Faça adaptações físicas:

Ajuste os seus hábitos de sono com antecedência.

  • Para se acostumar novamente à rotina, levante-se e deite-se com algumas horas de antecedência.
  • Evite tomar álcool e cafeína por pelo menos três ou quatro horas antes de se deitar.

– Pratique exercício físico.

Manter uma rotina de atividades físicas pode ajudá-lo a manter a forma e reduzir o stresse e a fadiga. Se continuar a exercitar-se depois de voltar para casa, o corpo vai ter uma sensação de estabilidade física, além de liberar endorfinas, que podem combater sintomas de depressão.

Mude de perspectiva:

– Recorde as suas férias.

Em muitos casos, basta mudar a perspectiva para mudar o que se sente em relação à situação. Esse processo cognitivo pode não acontecer de repente, mas você só precisa praticar de forma regular para adaptar a mente — fazendo-a aproveitar mais as experiências que vive, em vez de se lamentar por ter de voltar à rotina normal.

  • Encare os momentos divertidos da viagem como parte de uma série de novas experiências e lembranças que vão durar para sempre.
  • Seja grato por ter tido a oportunidade de viajar. Lembre-se de que, devido a vários fatores, muitas pessoas não têm condições de fazer algo desse tipo.

– Acrescente elementos da viagem ao seu dia a dia normal.

Você pode até não ter condições de cruzar os oceanos todas as semanas, mas pode incorporar alguns dos elementos da experiência à sua vida quotidiana. Se tiver gostado muito da culinária do local que visitou, por exemplo, aprenda a preparar alguns pratos dessa cultura; se tiver gostado da língua, matricule-se em aulas de idiomas ou cultura num centro local etc.

  • Ao acrescentar elementos da viagem à vida quotidiana, você vai manter vivas as sensações de animação e exploração.

– Reexamine a sua vida.

Se ficou infeliz ou insatisfeito quando voltou para casa, talvez você esteja a sentir mais do que saudades da viagem. As férias são divertidas porque dão às pessoas uma pausa de todo o tédio e a mesmice do quotidiano. Entretanto, para quem já não gosta de ficar no trabalho ou em casa, pode ser necessário fazer algumas adaptações. Eliminar o que traz tristeza ao coração e à cabeça — como o seu emprego atual ou o local onde mora.

  • Passe pelo menos três dias a refletir antes de tomar decisões muito impactantes. Você pode aperceber-se que a sua vida não é tão má quanto acha.
  • Não promova grandes mudanças de repente, mas aproveite o seu tempo pós-viagem para refletir sobre os elementos da sua vida que gostaria de mudar.
  • Reflita se você se sente desafiado ou importante no emprego atual e se está confortável e à vontade no apartamento, na casa ou no bairro onde vive.
  • Converse com amigos e familiares próximos antes de tomar decisões drásticas. Mesmo se esse reexame da sua vida o fizer entender que está feliz na sua condição atual, vai ter tido uma grande epifania, que pode deixá-lo mais contente.
  • Consulte um médico. Você pode estar com uma depressão clínica, que pode afetar a sua habilidade de se ajustar às mudanças da vida.

Reajuste-se à vida normal:

– Leve um souvenir da viagem para o seu local de trabalho ou estudo ou até para casa.

Se achar que vai ter dificuldade para se ajustar à rotina, pode usar um souvenir para facilitar a transição. Esses presentinhos podem relembrar toda a diversão da viagem, e pesquisas apontam que imaginar essas situações é suficiente para aliviar o stress e a ansiedade após o retorno.

  • Se tiver um escritório, decore a sua mesa e parede com fotos da viagem.
  • Se não tiver uma sala ou mesa própria, tente levar uma peça de roupa ou um acessório que possa vestir no trabalho. Mesmo que o código de vestimenta seja rígido, você pode usar uma pulseira ou um colar para se lembrar da viagem.

– Comece a planear a próxima viagem assim que voltar.

Ter mais uma viagem planeada — mesmo que num futuro não tão próximo — pode ajuda-lo a ajustar-se à rotina. Retomar os hábitos quotidianos pode ser difícil do ponto de vista psicológico, mas saber que algo tão divertido quanto essa experiência está no seu calendário vai animar o seu dia.

  • Se possível, pense na data da viagem imediatamente. O mero ato de escolher a data da próxima aventura é reconfortante para quem fica frustrado.
  • Sempre que ficar chateado, pense nas aventuras que gostaria de viver na próxima viagem. Você pode até pesquisar coisas para ver e fazer no tempo livre.

 

Autor: Viva Saude
Fontes:

 

Deixar uma resposta

Newsletter